Solidão

Durante um pulo de meu coração
Um nanosegundo, as vezes nem isso
Me vi diante de quase um martírio
Na negação de uma emoção

Distância, essa que nos separa
Machuca, fere e corta
Maior ferida é ver que tu não se importa
Com essa situação que meu coração empala

Me perco na métrica
Não sigo convenções procuro sentimento, caço emoções
E condenado a um amor não correspondido como à uma cadeira elétrica

Saiba tu, solidão
Que não sentes por mim, o que sinto por ti
Mas sem ti já não vivo
Não respiro nem durmo
E por isso já não me iludo
Meu medo é não lhe ter, mesmo lhe tendo
Não ser dono de seus sorrisos
E não estar em seus sonhos mais íntimos
Insegurança essa, solidão, que ganha força, quando somes e não volta
Quando eu digo meus sentimentos e você diz que não se importa
E que não vale nada quem fomos e nem quem seremos

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s